A evolução das redes sociais e seu impacto na sociedade

Em pleno ano de 2019, difícil é encontrar alguém que não use nenhuma rede social. Essas poucas pessoas decidem viver à margem da sociedade 2.0 e, mesmo sabendo que ficam de fora de muita coisa bacana que acontece nessas plataformas, elas seguem firmes na decisão por uma série de fatores, que vão desde a garantia da privacidade até o medo de se tornarem “viciadas” em rede sociais – como acontece com muita gente por aí, que praticamente se esquece de todo o resto da internet, acessando somente Facebook, Instagram e Twitter no dia-a-dia.

Mas como foi que as redes sociais ganharam tanto poder, a ponto de transformar a maneira com que as pessoas se relacionam, se informam e se comunicam, em tão pouco tempo? Ainda, como exatamente as redes sociais impactaram a nossa sociedade cultural e socialmente falando? E o que vai acontecer daqui para frente com as plataformas sociais ganhando cada vez mais influência?

Revolução


As redes sociais mudaram a forma como as pessoas avaliam o que acontece ao seu redor. Para entendermos o impacto que as redes sociais impuseram a sociedade, podemos simplificar tudo em uma sentença: especialistas já não são mais especialistas; a multidão é.

Aqueles dentre a multidão que conseguem assumir este posto de novo especialista torna-se um agente da mídia, assumindo uma posição quase de semi-Google em meio às redes sociais. Usuários comuns, sem qualquer ligação com empresas, tem suas opiniões sobre produtos ouvidas atentamente por outros usuários – o parecer destes novos especialistas são considerados praticamente como irrefutáveis por muitos.

Assim, a evolução das redes sociais está na revolução causada pelos seus princípios, tornando cada indivíduo mais integrado aos seus semelhantes, prontos para interagir, prontos para colaborar

Fonte:Oficinadanet